QUARTO RELATÓRIO: Os Coletivos

Na Comunidade Maior existem sociedades em todos os níveis imagináveis de desenvolvimento social e espiritual. Isso varia de sociedades pré-agrícolas indo até os impérios, Coletivos, e outros tipos de organizações estabelecidas entre mundos para defesa e comércio mútuos. Em todos os níveis dessa evolução existem inúmeras expressões. Contudo como nós falamos, existem regiões vastas da galáxia que são inexploradas e escassamente povoadas, onde muitas sociedades vivem em segredo. E existem muitas culturas que nunca sequer foram descobertas.

Em nosso discurso prévio, nós demos a analogia da galáxia sendo interligada através de uma série de rotas, como um mapa em seu mundo. Existem avenidas principais, existem avenidas secundárias, e existem áreas onde não existe nenhuma “estrada”.

As impressões que nós gostaríamos de lhes dar a respeito da Comunidade Maior são as mais relevantes para a sua posição no espaço e são as mais descritivas dos ambientes que estão em proximidade ao seu mundo. Contudo o vosso campo de visão ainda é extremamente limitado, e vocês não podem ver além dos planetas mais próximos, mesmo em vosso sistema solar. As suas tentativas de comunicação por rádio são fúteis porque ninguém usa esse tipo de tecnologia para comunicações interplanetárias.

Viagem no universo é grandemente acelerada pelos vossos padrões mas ainda é muito lenta, dada a enormidade do cenário físico. Grandes impérios e Coletivos só podem estender a si mesmos onde eles estabeleceram uma infraestrutura próxima. Gerenciar postos avançados distantes é muito difícil logisticamente e existem outros perigos a respeito da intervenção de outras raças, bem como problemas com jurisdições e disputas regionais. Por essa razão, em áreas escassamente populadas da galáxia, os Coletivos não serão encontrados. Mesmo grandes impérios podem raramente enviar exploradores de recursos a essas regiões, porque elas são muito distantes, e mesmo se for possível fazer descobertas, os problemas logísticos em enviar suprimentos e ganhar acesso a esses recursos são descomunais. Para complicar ainda mais o assunto, em áreas mais populadas na galáxia, existem regras regionais de conduta. Então as nações não são tão livres para passar por qualquer lugar que elas queiram ir em suas explorações.

É claro, nós não podemos esperar que a família humana entenda isso. A sua perspectiva atual é de que o universo na verdade está lá para ser explorado e ser tomado para a vossa própria vantagem. Mas infelizmente, vocês não são os primeiros a chegarem lá. E existem muitas civilizações e impérios que são muito mais antigos do que qualquer coisa que a humanidade já estabeleceu até agora na Terra.

Guerras e grandes conflitos ocorrem no universo, mas eles são relativamente raros. Rebeliões e disputas internas são mais comuns, mas guerras entre grandes nações e impérios no universo são muito mais raras do que vocês possam imaginar. Não podemos falar por outras galáxias, porque nunca nos aventuramos por lá. Mas a partir do que sabemos dessa galáxia e das nossas próprias viagens, nós sabemos que essas coisas são inteiramente verdadeiras.

A humanidade ainda está descobrindo muitos segredos sobre tecnologia, e então é nisso que ela coloca a sua esperança e a sua promessa. No entanto, entre as nações mais avançadas, o poder da influência no Ambiente Mental é a arena de influência que é muito maior. Pois assim como dissemos, tecnologia pode ser comprada e copiada. Não é nisso que as reais vantagens serão geralmente encontradas.

No entanto, recursos são valiosos, e portanto, a destruição de ambientes naturais é geralmente vista com desaprovação. Para preservar esses recursos e meio-ambientes, a maioria dos exploradores de recursos incluindo os Coletivos irão tentar persuadir a raça nativa para chegar à uma aliança com eles ao invés de tentar assumir o controle daquela raça pela força. Essa estratégia também é entendida por muitas civilizações avançadas, que aprenderam através de muita tentativa e erro, e através de muitos períodos difíceis na história dos seus mundos. Conforme as sociedades se tornam mais avançadas tecnologicamente, a necessidade por recursos é maior e a preservação dos recursos naturais se torna uma ênfase maior. Em muitos casos, mundos de origem excederam os recursos dos seus próprios planetas, até mesmo ao ponto desses mundos se tornarem estéreis e improdutivos.

Isso dá provas do motivo do seu mundo ser visto com interesse tão grande entre aquelas poucas raças, relativamente falando, que estão cientes de vocês. Biologicamente rico, rico em recursos, estrategicamente importante e acessível a muitos dos Coletivos que vivem nessa parte da galáxia, ele é um verdadeiro prêmio.

A proximidade de vocês das áreas que são razoavelmente muito habitadas contém tanto uma desvantagem como uma vantagem para vocês. A desvantagem, é claro, é que o seu mundo será reconhecido e está dentro do alcance dos Coletivos, que são senão uma forma de estrutura social no universo. A vantagem para vocês no entanto, é que o seu mundo não pode ser conquistado, porque vocês vivem em uma região que é governada por regras de conduta. Se o seu mundo existisse em uma parte muito remota da galáxia, onde tais regras de conduta não fossem estabelecidas, então o seu mundo poderia ser tomado pela força. Ele seria tomado por exploradores de recursos, por piratas, por grandes estados-nações, por qualquer um que pudesse ganhar acesso a ele e manter um controle e autoridade.

Então o fato de vocês viverem em uma parte mais, digamos “civilizada”, do universo, lhes dá algum grau de proteção. Nessa região, onde nós também habitamos, é ilegal para um novo mundo tal como o seu, ser invadido sem a permissão da raça nativa do local. Isso significa que o seu mundo não pode se tornar uma parte de uma associação maior a menos que a humanidade demonstre visivelmente que ela concorda com isso e que ela recebe bem a intervenção.

Como a Comunidade Maior, especialmente na área na qual vocês vivem, é um ambiente muito competitivo, e como existem muitos Coletivos habitando aqui, eles tendem a manter uns aos outros sob controle e tomam medidas legais uns contra os outros se necessário, caso as regras básicas de conduta sejam violadas. Portanto, se um Coletivo procurasse tomar esse mundo pela força, ele seria contra-atacado por outros Coletivos que têm um interesse nesse mundo e pelos seus competidores de outros lugares, que manteriam esses tipos de ações sob controle.

Nós não podemos esperar que vocês estivessem cientes dos detalhes de uma situação tão complexa, mas é importante para vocês saberem que o universo ao redor de vocês não é vazio e desprovido de vida. É importante para vocês saberem que o universo próximo às suas margens não é primitivo e não é desprovido de regulamentação. Isso vai ajudar vocês a entender como os Coletivos que estão intervindo em seu mundo funcionam e como eles podem ser neutralizados. Isso dá a vocês certas vantagens, as quais vocês precisam aprender a reconhecer e a empregar por vocês mesmos.

Existem outras partes do universo onde grandes impérios existem, e eles definem as suas próprias regras, tendo poucos competidores dentro das suas regiões. E existem muitas outras áreas onde muitas nações se juntaram em associações, sejam econômicas, políticas ou militares, ou todas as três, para negociação e defesa mútua. Isso é bem comum em áreas que são muito habitadas no universo.

A região na qual vocês vivem, que engloba, pela identificação de vocês, uma área muito vasta, contém aproximadamente cinco mil estrelas. Nós chamamos isso de região porque é assim que ela é delineada. Essa é uma parte muito pequena da galáxia como vocês podem imaginar, mas bem grande em termos dos seus interesses e necessidades. Nessa região, existem importantes regras de conduta. Vocês têm pequenos impérios, alguns dos quais vocês chamariam de ditaduras e alguns dos quais são de natureza mais democrática. Vocês têm Coletivos, que são bem poderosos mas limitados em certas áreas de influência deles. Contudo dentro dessa região, todas as áreas que são conectadas por vias principais de comércio são governadas por códigos e conselhos. Isso é para prover proteção e segurança e para garantir que não haja uma erupção de violência que se torne em uma guerra plena. Disputas ocorrem frequentemente e são tratadas através de negociações ou através de procedimentos legais.

No entanto, esses órgãos governadores somente vigiam rotas de comércio, primariamente. E eles são apoiados por organizações de estados que pertencem a eles mesmos, para o próprio benefício e segurança mútuo deles. Algumas dessas organizações são mais fortes do que outras. Contudo onde se tem potências maiores competindo, as regras de conduta são levadas bem a sério e são aplicadas bem seriamente.

Na região na qual o seu mundo existe, os Coletivos não tem permissão para ter exércitos ou forças militares. No entanto eles tem permissão para ter forças de segurança para defesa própria. Sendo primariamente instituições econômicas, eles buscam proteger os próprios interesses e avenidas de comércio, com as suas próprias forças. Mas eles não possuem grandes exércitos tais como vocês podem imaginar. Eles podem contratar forças de segurança ao viajar em áreas que são consideradas inseguras para comércio ou que são politicamente instáveis entre as nações residentes. Mas essencialmente, os Coletivos, os quais gostaríamos de levar algum tempo para descrevê-los agora, não são potências militares. Eles são potências econômicas. O foco deles está em comércio, aquisição de recursos e em construir a aliança deles entre mundos tais como o de vocês.

Existem muitos Coletivos funcionando na região na qual o vosso mundo existe. Alguns desses Coletivos estão centralizados dentro dessa região. Alguns possuem centros em outros lugares e possuem grandes estabelecimentos remotos aqui. É um fato interessante da vida que, onde quer que Coletivos existam e estejam competindo uns com os outros, as outras nações desenvolveram as suas próprias defesas contra eles para que os Coletivos não possam intervir nas negociações, no comércio e nos assuntos internos desses mundos. Como estamos falando sobre muitas nações dentro de uma região, muitas das quais possuem os seus próprios estabelecimentos militares, os Coletivos precisam então obedecer certas regras de conduta ou então enfrentar consequências muito graves. Não possuindo armamento significante deles mesmos, eles precisam utilizar negociações, diplomacia e influência como o meio principal de realização.

Portanto, aqueles que vocês estão encontrando no universo nesse momento representam organizações altamente organizadas e muito hierárquicas, cuja função é aquisição e desenvolvimento de recursos. Em geral, os Coletivos consistem de uma série de raças funcionando em diferentes níveis de autoridade e comando. Aqueles que realmente controlam os Coletivos que estão funcionando em seu mundo provavelmente ainda não foram encontrados por ninguém no mundo. Vocês somente reconheceram as classes trabalhadoras, que são criadas para servir em funções específicas. Embora elas sejam entidades biológicas, os códigos biológicos, treinamento, criação e foco genético delas lhes deram muito pouca individualidade e capacidades individuais de raciocínio e discernimento. Elas funcionam muito parecidas com, bem, uma mente coletiva. Elas são controladas rigidamente. Elas possuem pouca ou nenhuma liberdade pessoal. As áreas de função são muito específicas e são executadas com eficiência impressionante.

Contudo os Coletivos são inerentemente fracos porque eles não são construídos sobre o que chamamos de “Conhecimento”. Portanto, eles não têm a força do insight. Eles não são criativos em suas abordagens. Eles tendem a imitar uns aos outros. Eles dependem da estrutura, códigos de conduta e capacidade de manipular os pensamentos e sentimentos, não somente dos seus próprios membros mas também daquelas raças que eles buscam influenciar. Embora os Coletivos sejam muito poderosos em certos aspectos, eles também têm fraquezas inerentes.

Ao longo da história, os Coletivos tem tido grande dificuldade em manter controle e autoridade sobre as suas populações residentes porque elas incluem muitos grupos raciais diferentes. As classes trabalhadoras são criadas para servir, mas mesmo elas têm qualidades que as classes dominantes acham difíceis de administrar. Tem havido revoltas, e como resultado os Coletivos sofreram grandes perdas. Muito certamente eles são imperfeitos, mas mais fundamentalmente, eles não são governados pelo Conhecimento, ou o poder do Espírito. Isso significa que as defesas deles podem ser penetradas, os segredos podem ser descobertos, as atividades podem ser reveladas e os enganos podem ser compreendidos por aqueles que são fortes com o Conhecimento e que são livres para ver, saber e agir.

Outras nações em regiões tais como a de vocês, lidam com os Coletivos de forma muito, muito cuidadosa e não lhes dão permissão a nenhum tipo de penetração nos assuntos internos dos seus mundos. Às vezes os Coletivos são vistos como um mal necessário para prover recursos essenciais que são necessários a esses mundos. Os Coletivos possuem grande capacidade e habilidade nas áreas nas quais eles são fortes. E as nações que puderam interagir com eles com sucesso, tiveram que manter uma distância significativa e tiveram que ser extremamente discretas.

Certamente, intervenções como a que está acontecendo em seu mundo, não seriam permitidas por nenhuma raça que entendeu os verdadeiros interesses da intervenção, e que entendeu as realidades da vida no universo. O fato de que a Intervenção está bem encaminhada em seu mundo demonstra que a humanidade não possui essa conscientização e que não possui a unidade ou a coesão social para resistir e neutralizar intervenções não autorizadas e indesejadas como essa.

Nos foi dito que existem grandes organizações econômicas que possuem interesses por todo o globo e que empregam diferentes nações e diferentes grupos, em serviço a essas organizações. Talvez isso possa servir então como um exemplo. Mas os Coletivos são muito maiores. Eles podem incluir centenas de planetas e estabelecimentos planetários e existirem através de vastas extensões do espaço. Eles podem ter controle significativo e estão sempre interessados em ganhar novas fidelidades e novos membros.

Os Coletivos são apenas uma forma de estrutura social no universo. Os Coletivos variam muito entre si. Alguns são puramente econômicos e seculares em seu estabelecimento, foco, teoria e filosofia. Outros possuem componentes religiosos. No entanto, ter componentes religiosos não significa que eles sejam religiosos por natureza. Simplesmente significa que parte da filosofia deles inclui espiritualidade, seja em qualquer grau de consciência espiritual que exista em seus membros, e isso dirige a percepção ou interesse espiritual, particularmente dentre as classes dominantes. Contudo nós temos visto que com muito poucas exceções, os Coletivos consideram a própria sobrevivência e estrutura como sendo o único foco da dedicação deles. A dedicação deles é quase religiosa em natureza, embora as organizações deles raramente o sejam. Se eles fossem fortes com o Conhecimento, eles não seriam Coletivos.

Fundamentalmente, um Coletivo difere de um império por não possuir um planeta de origem. É um grupo de planetas que são diferentes e que se juntaram, geralmente através de conquista e persuasão, e que se tornaram uma tremenda força econômica. Ao passo que um império é geralmente centralizado por uma raça em um mundo ou em uma região, os Coletivos consistem de muitas raças diferentes. Nós nunca conseguimos penetrar a hierarquia de um Coletivo, então não podemos falar a respeito da composição da liderança em termos de histórico racial. Mas nós sabemos que eles são diversos e que eles gerenciam a sua própria diversidade com um estrito código de ética e com um controle hierárquico que vocês iriam achar totalmente opressivo. Certamente, nós não poderíamos viver dentro de tal sociedade, embora em nossos casos nós chegamos muito perto de ter que fazer isso.

A verdadeira democracia, como vocês a chamariam, existe no universo, mesmo em grandes manifestações, mas ela é muito mais rara do que vocês possam pensar. E certamente qualquer democracia verdadeira teria que se tornar muito forte em suas relações com a Comunidade Maior, muito cuidadosa para evitar, se possível, interações com Coletivos e outros tipos agressivos de impérios.

Não existe nenhum império ou Coletivo no universo que seja predominante. Existe simplesmente muita diversidade e vida. Existe competição demais. E tem havido disputas de longa data entre certas nações. A tecnologia avançada é abundante entre muitas sociedades, então as vantagens que se buscam não são tecnológicas em natureza. Embora algumas nações são mais ricas do que outras, as defesas se tornaram tremendas no universo contra a intrusão violenta. Novamente, os Coletivos possuem certos tipos de vantagens nas quais eles não usam de força. Eles não dependem de uma presença militar para alcançar os seus objetivos.

Todos os nossos mundos nativos existem dentro da região do mundo de vocês, ou nos arredores. Todos nós tivemos que lidar com os Coletivos. Todos nós tivemos que lidar com exploradores de recursos de outras nações. Todos nós tivemos que aprender a proteger e a garantir a nossa liberdade e a nos tornarmos o máximo auto-suficientes possível, em muitos casos dependendo uns dos outros para recursos essenciais para nossa sobrevivência e bem-estar.

Quanto mais auto-suficiente um mundo puder se tornar e quanto mais ele puder manter essa auto-suficiência, mais forte e mais independente ele será por natureza no universo. Muitas vezes nações se tornam dependentes de Coletivos porque elas esgotaram os seus recursos fundamentais e agora precisam depender de negociação e comércio para as coisas mais básicas que elas precisam para viver. Isso é claro, torna elas extremamente vulneráveis à usurpação, e em muitos casos elas mesmas se tornam partes de Coletivos ou extremamente dependentes deles.

Com a deterioração do vosso ambiente natural e com o rápido esgotamento dos vossos recursos essenciais, vocês estão se movendo para uma posição de extrema vulnerabilidade e impotência no universo. Isso precisa se tornar parte do entendimento de vocês. Dentre o seu povo e mesmo entre os seus governos e líderes, existe pouca ou nenhuma conscientização das realidades da vida, comércio e manipulação no universo. Nós aprendemos muitas coisas a partir das transmissões de vocês, e nós aprendemos muitas coisas com os Não-Vistos. O seu mundo, em muitos aspectos, tem problemas que são comuns à vida que está emergindo e se desenvolvendo em toda parte no universo.

Vocês têm então um interesse inerente, em manter e sustentar os recursos fundamentais do seu mundo e em renovar esses recursos com sucesso. Sem isso, os Coletivos terão uma grande vantagem em seus induzimentos. Sem isso, mesmo se vocês resistissem aos Coletivos, em algum ponto vocês iriam precisar daquilo que eles tem para oferecer – matéria-prima, energia, produção alimentar, tecnologia avançada. Todas essas coisas criam um estado de dependência, seja de um Coletivo ou de muitos outros tipos de estados, nações e organizações que estão diretamente envolvidas em negociação e comércio. Claramente o vosso mundo estaria em grande desvantagem se vocês não pudessem barganhar com sucesso por aquelas coisas que vocês precisam. Em algum momento, vocês teriam que aceitar sejam quais forem os termos que forem apresentados a vocês. O resultado disso então se torna óbvio. Vocês são incorporados para dentro da estrutura de outros mundos, seja um Coletivo, um império ou uma associação agressiva de mundos, todos os quais estão sempre procurando novos territórios e novos recursos.

Os Não-Vistos nos disseram que, em resposta ao nosso primeiro conjunto de discursos, muitas pessoas se sentem impotentes e sem esperança diante de encontrar todas essas coisas. Nós entendemos isso. Nós mesmos enfrentamos tais limiares, com consequências muito graves porque nós não nos preparamos a tempo. No entanto, como temos falado, e como devemos continuar a enfatizar, a humanidade possui o poder e a habilidade para impedir a Intervenção e para impedir futuras intervenções desse tipo. Vocês possuem o Conhecimento inerente que vive dentro de vocês. É isso o que queremos dizer quando falamos de espiritualidade. Vocês possuem tanto poder individual como tecnologia suficientes para neutralizar o tipo de intervenção que está ocorrendo em seu mundo nesse momento. Vocês poderiam expulsar a Intervenção se vocês tivessem a vontade para fazê-lo. Mas vocês devem se educar sobre a Comunidade Maior, e vocês devem ser muito claros e sóbrios sobre o que vocês estão lidando nesse momento. É por isso que o nosso aconselhamento é tão importante, se vocês puderem recebê-lo.

Parte do induzimento da Intervenção é desencorajar aqueles que estão cientes da real natureza da Intervenção. Em outras palavras, para aqueles indivíduos que se tornarem cientes da Intervenção, o foco dos visitantes então será em desmoralizá-los e desencorajá-los, para fazê-los se sentir fracos, desamparados e impotentes em face disso, fazê-los pensar que eles estão sendo visitados por potências enormes com força ilimitada, e que eles não tem nenhuma possibilidade de resistir a persuasão dos visitantes ou de neutralizar a presença dos visitantes no mundo.

Isso é senão parte da manipulação que está sendo perpetrada. Para aqueles que parecerem cooperativos e receptivos, serão enfatizados os gloriosos benefícios de se colaborar com os visitantes. Para aqueles que são duvidosos sobre essas coisas ou que não podem ser persuadidos, então desencorajamento e desmoralização serão a influência primária.

Aqui então é necessário que vocês entendam que o vosso próprio senso de fraqueza e desamparo não é meramente um produto da vossa falta de auto-confiança mas na realidade é parte da manipulação que está sendo lançada em vosso ambiente mental. Nós entendemos que os governos do seu mundo encorajam suas populações a se sentirem fracas e dependentes da estrutura e autoridade dos seus governos. Mas aqui nós estamos falando sobre um tipo de influência maior e mais pervasivo.

A humanidade vai sucumbir ou porque é persuadida a fazer assim, ou porque ela é desencorajada de resistir. Essas são duas formas de manipulação com um objetivo comum. Portanto, vocês não devem perder a fé. Vocês devem aprender sobre a vida na Comunidade Maior.

Vocês tem pontos fortes e vocês tem fraquezas. Os Coletivos tem pontos fortes e tem fraquezas. A vossa posição no Universo tem vantagens e desvantagens. Vocês também tem aliados que querem ver a liberdade humana protegida e que querem ver a humanidade emergir na Comunidade Maior como um mundo livre, unido e protegido. Nós apoiamos isso por toda parte, porque essa é a verdadeira inclinação espiritual. No universo no qual vocês vivem, existem forças de oposição tremendas contra isso. No entanto existem forças poderosas que mantém a liberdade viva e que a encorajam e alimentam, onde quer que ela possa ser realizada.

Portanto, entendam que se vocês se sentirem fracos e desamparados e sobrecarregados, parte desse sentimento vem da própria Intervenção. Nisso vocês devem ganhar grande confiança na bondade inerente da humanidade e reconhecer o valor real da vossa liberdade. Vocês nunca foram desafiados dessa forma antes. A liberdade de vocês nunca foi desafiada como uma raça, como um povo, como um mundo, dessa forma antes. Contudo todas as pessoas no mundo podem ao menos valorizar a possibilidade de liberdade e seja qual for a liberdade que elas possam ter nesse momento. Tudo isso está em risco agora.

É aí onde vocês encontram a sua unidade comum, e é aí que vocês curam os seus conflitos e as suas animosidades antigas uns com os outros. Aqui vocês “zeram as suas contas”, porque elas não importam mais. O que importa é a preservação da liberdade humana e a sua superioridade em seu próprio mundo. O que importa agora é a preservação dos recursos do mundo para a própria sobrevivência e segurança futuras. O que importa agora é que vocês reconheçam a Intervenção e tomem os passos necessários para frustrá-la e detê-la. Isso precisa acontecer em todos os níveis das suas sociedades – no nível do governo, no nível da religião, e no nível da vontade da pessoa comum.

Sabemos que existem grandes forças espirituais no mundo que apoiam e encorajam isso. Contudo a influência e as vozes delas podem ser obscurecidas pelos efeitos da Intervenção e pela ignorância das próprias pessoas. Em nossos mundos, emissários foram enviados para nos aconselhar sobre o perigo iminente que nós enfrentávamos a partir da infiltração de potências estrangeiras em nossos mundos. Nós estávamos sendo seduzidos assim como vocês estão sendo agora, a juntar-se em benefícios mútuos de negociação e comércio. Aqueles de nós que eram céticos e aqueles de nós que resistiram tal persuasão foram alienados das nossas sociedades e fomos dissuadidos e desencorajados e desmoralizados a tal ponto em que não podíamos ter a voz de governo, em que não poderíamos representar a vontade do povo.

Se o seu posso só quer pequenas bugigangas do universo, novos brinquedos tecnológicos para se brincar, e vocês dariam a sua liberdade e a sua autonomia por isso, então certamente as nossas palavras não serão o bastante. Mas a instrução deve começar em algum lugar. E ela precisa alcançar aquelas pessoas que já possuem uma sensibilidade à Comunidade Maior. Ela deve alcançar aquelas pessoas que valorizam a liberdade humana e que não consideram como algo garantido. Ela deve alcançar aquelas pessoas que já tem sido afetadas pela Intervenção, seja diretamente ou indiretamente. Ela deve começar em algum lugar. Vocês precisam saber que vocês possuem aliados na Comunidade Maior, mas vocês também precisam saber que será a força humana e a cooperação humana que irão virar a maré em seu favor. Nós não podemos intervir além de dar o nosso aconselhamento.

Vocês devem entender sem ambivalência e confusão a natureza e propósito reais da Intervenção no mundo hoje. Nesse momento, os seus verdadeiros aliados não estão presentes no mundo. Eles não estão andando na superfície do seu mundo. Eles não estão morando em seu mundo. Eles não estão influenciando os seus governos e pessoas em posições de poder. Eles não estão contactando os seus sensitivos e psíquicos. Eles não estão tentando persuadir aqueles que são religiosos em seu ponto de vista.

Nós falamos pelos seus verdadeiros aliados. O nosso aconselhamento é para lhes dar perspectiva, entendimento e sobriedade e para lhes ajudar a neutralizar as influências que estão sendo lançadas sobre vocês e que tem sido lançadas sobre vocês já por décadas agora. Vocês tem o poder para resistir. Vocês tem o poder de se unir. Vocês tem o poder de se livrar dessa influência.

Os Coletivos não acreditam que vocês resistirão, e assim eles estão sendo menos cuidadosos do que talvez deveriam ser para influenciar vocês. Eles acham que esse projeto levará tempo mas que é fácil, e que o objetivo final será atingido sem grandes dificuldades. Nós devemos então falar àqueles que estão prontos e capazes de responder. Não existe nenhum outro problema ou dilema na vida de vocês tão crítico quanto esse. Qualquer coisa que vocês estabelecerem por si mesmos para a sua nação, para o seu grupo, para a sua cultura ou sua tradição religiosa, será perdida diante da Intervenção. Vocês não vão querer ser parte de um Coletivo. Vocês devem confiar em nós a esse respeito e considerar as nossas palavras seriamente. Não existe liberdade ali. Vocês se tornarão nada senão servos ligados aos seus novos mestres. E embora aqueles de vocês que representam os seus mestres terão certos privilégios, vocês todos serão escravizados. E então o poder para resistir, embora ainda possa ser reunido, terá um custo e consequências muito maiores.

Para aqueles poderes governantes observando os Coletivos que estão intervindo em seu mundo, precisa aparecer que a humanidade recebe bem a presença dos Coletivos. Do lado de fora precisa parecer que a humanidade está a favor dessa Intervenção. É por isso que existe um esforço tão grande para assegurar emissários para a Intervenção e para ter indivíduos em posições de poder e liderança defendendo a presença dos visitantes e afirmando as promessas dos visitantes de maiores riquezas, poder, liberdade e paz. Vocês conseguem entender o que nós estamos lhes dizendo aqui? Isso é uma farsa, tanto dentro do seu mundo como fora dele.

Até haver uma forte voz resistindo a Intervenção, que se faça conhecida e pública, parecerá para os observadores de fora que a Intervenção está sendo bem recebida pela humanidade e que está sendo defendida pela humanidade. A Intervenção já tem muitos porta-vozes e representantes, mas poucos críticos veementes. Até mesmo o vosso criticismo veemente cria problemas para a Intervenção. Mesmo se as pessoas falarem ousadamente dizendo “Não, isso é errado! Nós estamos sendo visitados contra a nossa vontade! Nós estamos sendo persuadidos e manipulados contra a nossa vontade! Isso não pode acontecer! Nós não aprovamos isso! E nós exigimos que os visitantes vão embora!” Até essas vozes serem ouvidas, irá parecer para os órgãos de governo e para aqueles que competem com esses Coletivos, que eles estão aqui com o consentimento humano. Mesmo levantando um clamor público teria um grande benefício para vocês aqui.

Não é que vocês precisam remover fisicamente os visitantes. Ao invés disso, vocês tem que demonstrar o descontentamento de vocês com a presença e as atividades deles. Vocês tem que demonstrar sobriedade a respeito dos induzimentos e enganos deles. E vocês tem que falar ousadamente contra a tentativa deles em se cruzarem geneticamente com a humanidade, para criar uma nova liderança aqui. Vocês tem que falar ousadamente contra a abdução de pessoas contra a própria vontade delas. Porque essas coisas estão sendo executadas em segredo. Mesmo as autoridades de fora não sabem que isso está acontecendo.

Nós devemos continuar enfatizando essas coisas para que vocês possam ver e entender com clareza. Levantem a sua voz contra a Intervenção, e a Intervenção é colocada em risco. Resistam a Intervenção e a Intervenção precisa parar e os Coletivos precisam encontrar novas maneiras de ganhar a atenção e a submissão de vocês.

Como temos falado em nossos discursos prévios, ninguém deveria estar colocando o pé em seu solo sem o seu consentimento expresso. Os seus aliados não viriam aqui sem esse consentimento expresso, embora em uma época anterior os seus aliados tentaram alcançar certos indivíduos no mundo, em face da Intervenção. Contudo de modo geral, nenhum verdadeiro aliado da humanidade iria intervir nos assuntos humanos.

Não pensem que vocês podem persuadir aqueles trabalhadores nos Coletivos com os quais vocês provavelmente irão se encontrar face-a-face. Eles não possuem o discernimento ou a vontade para entender a sua perspectiva. Eles só estão executando suas funções assim como eles foram criados para fazer. Embora eles sejam seres biológicos e ainda tenham potencial para o Espírito, a probabilidade de vocês serem capazes de persuadí-los é muito, muito limitada. Eles estão funcionando sem pensar. Eles não possuem a fundação moral que vocês tem. A liberdade pessoal é desconhecida para eles, e eles não a valorizam, tendo sido ensinados que a liberdade pessoal é caótica, indisciplinada e destrutiva. Eles não iriam aceitar os seus apelos e advertências. E mesmo aqueles que os controlam e gerenciam, embora tendo maior autoridade, não poderão compreender as suas reclamações ou persuasões.

Não é assim que a Intervenção será impedida. Ela não será impedida com vocês criando dissensão entre as suas fileiras. A Intervenção será impedida porque vocês criaram uma voz contra ela e o seu povo está unido para evitar que ela aconteça no mundo. Nesse momento, naves alienígenas vem e vão à vontade. Pessoas são levadas à vontade. Recursos biológicos são levados à vontade. Acesso a indivíduos em posições de poder é feito à vontade. Não existe o consentimento e resistência coletivos necessários para se neutralizar nenhuma dessas intrusões, nenhuma dessas violações dos seus direitos fundamentais. Isso tem que mudar. E precisa começar com alguém. Precisa começar com você e com outros como você que possuem uma maior conscientização e sensibilidade. Precisa começar com aqueles que podem responder a uma mensagem tal como a nossa e que possuem a confiança interior para saber que estamos falando a verdade.